Pharrell Williams Brasil

Pharrell Conversa com Jason King da NPR Music para a NYU Tisch School Of Arts

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×

NPR-pharrell-williams-townhall-NYU-TISCH-School-Of-Arts-Jason-King-Conversa-Outubro-26-2015-1

Se você perdeu o stream dia 26 de outubro, relaxa que o vídeo está no youtube (abaixo) para você ver a conversa que Pharrell Williams teve com o professor da Universidade de Nova York e o apresentador Jason King, que trabalha no canal de R&B do Youtube ‘NPR Music’, em uma sala cheia de alunos da NYU. Ele foi recentemente nomeado Artist-in-Residence 2015 da NYU Tisch School of the Arts, um papel que celebra e homenageia personalidades de destaque em seu campo.

O objetivo da conversa foi celebrar o 50º aniversário da escola de arte e o plano era se aprofundar no trabalho de Pharrell. Embora seja fácil de reconhecer os altos e baixos da carreira dele (porque a maioria de nós vivemos enquanto elas aconteciam), a conversa ao vivo deu a seus admiradores um olhar a um lado raramente visto de Skateboard P. A maioria das histórias que ele compartilhou, os fãs já ouviram falar em outras entrevistas. Mas eram suas reações e demonstrações que mais se destacaram. E também é legal vê-lo em 2015, olhando para trás para seus primórdios. Muita coisa acontece em 20 e poucos anos. Dá uma olhada:

Vendo as ‘confissões’ de Pharrell, descobrimos algumas coisas:

1. Pharrell Sofre de “Síndrome do Voicemail”
De acordo com P, “síndrome do correio-de-voz” é quando você odeia ouvir a si mesmo no correio de voz. A expressão foi dita por ele com tamanha naturalidade que parecia ser uma síndrome real, com milhões de peças de reflexões escritas sobre o assunto. Não era. Neste caso, Pharrell não está falando de mensagens de voz, mas a timidez que ele tem de ouvir suas próprias obras musicais em público. Durante a entrevista, King tocou “Superthug” quando Pharrell o deteve. “Fico tímido em ouvir minha própria música.” E não era só da música que Pharrell estava com vergonha, mas também do seu visual. No vídeo, que foi gravado em 1998, Williams aparece em uma bandana e úclos amarelos. A multidão deu uma coletiva “awwwww”, mas não foi o suficiente para Pharrell fugir sem ouvir sua música no palco, mesmo com ele cobrindo rosto o tempo todo.

2. Brasil Inspirou “Milkshake” da Kelis
Às vezes a inspiração vem de lugares improváveis. Mas ser inspirado por um país como o Brasil soa completamente plausível, especialmente se é para escrever e produzir um single único como “Milkshake” de 2003 da cantora Kelis. A história é, Pharrell estava em uma boate no Brasil cercado por belas mulheres e um tipo de música que ele denomina “booty shaking music em português”. Foi isso que inspirou a criar o certo sentimento. O sentimento de vou dançar a noite toda. Usando sons do Oriente Médio, ele fez uma batida que era bastante diferente do que ouviu, mas bastante familiar com que nós brasileiros adoramos. Sucesso.

3. Ele é o “Mr. Magoo da Música.”
Mr. Magoo, um personagem de desenho animado dos anos 60, é um homem velho que sempre entra em confusões porque ele não podia ver. Magoo nunca se machucou e sempre saiu ileso. Pharrell da teoria do “Mr. Magoo” o tempo todo, dizendo que ele era o Mr. Magoo da música. Toda vez que ele saia com o objetivo de conseguir algo, não funcionava. Mas, quando as coisas chegavam até ele, funcionava. As oportunidades que deram certo em sua carreira, em sua maioria, foram apresentadas a ele.

4. Ele não contou nada sobre trabalhar com música até ganhar seu primeiro disco de ouro.
Virginia Beach era uma cidade que ninguém tinha ambição de trabalhar com música. Pharrell disse que não falou para seus pais que sonhava trabalhar com música porque provavelmente eles não entenderiam. “Por isso, o meu primeiro contrato era tão ruim”, admitiu Pharrell.

5. “Frontin’” Foi Feita Para Prince.
Ele enviou a música para Prince esperando que ele a gravasse, mas infelizmente (ou felizmente) ele nunca teve uma resposta do cantor, por motivos de Prince. Pharrell também comentou que o pessoal da sua gravadora dizia que algo estava faltando. Foi quando Hov entrou na pista e tudo ficou claro. “Estava faltando Jay-Z.” E tudo estava certo no mundo. Isso também se transformou em uma oportunidade para Pharrell flexionar seus falsetes.

6. Ele Se Considera Um Produtor, Antes de Se Considerar Um Artista.
Até Daft Punk pedir para ele cantar em seus singles do álbum Random Access Memories em 2012, Pharrell não se considerava um artista solo. Este tempo todo, ele se considera um homem de sorte o suficiente para ser o produtor que teve a oportunidade de cantar em suas músicas. “Eu ainda me considero esse produtor que está recebendo oportunidades”.

7. Skateboard P Está no Trem de Hillary Clinton.
Em um ponto na entrevista, Pharrell se pegou soando como um robô vulgo “como Donald Trump.” P sabe que qualquer coisa que ele disser estará em mídias sociais em um piscar de olhos, então ele rapidamente esclareceu que ele não é Trump, mas Hillary Clinton. “É o momento para uma mulher”, disse ele. No início deste mês, Pharrell e Ellen DeGeneres estavam discutindo a próxima eleição presidencial quando Pharrell disse: “É hora de uma mulher estar lá.” Como um homem, sua razão para querer uma mulher no cargo faz 100% de sentido. Ele continuou dizendo: “As mulheres pensam sobre as coisas de uma forma holística; não é tão individual. A coisa é, se tivéssemos alguém cuidando de nosso país pensando sobre as coisas como um todo, eu sinto que ele seria diferente.”

8. A primeira música que os The Neptunes produziram foi “Tonight Is the Night” do Blackstreet.
Pharrell e Chad Hugo eram da gravadora de Teddy Riley. Eram assinado como um grupo musical, junto com Shae Haley e Mike E. Porém, o selo de Riley precisava de uma gravadora maior para distribuição, que era nada mais nada menos que a MJJ Records, do Michael Jackson. “Mas, algo deu errado e esse outro grupo chamado Men Of Vizion assinou o acordo. E no processo, tivemos a chance de produzir e compôr canções para outros artistas. A primeira música que produzimos foi ‘Tonight Is The Night’, que foi composta por Tammy Lucas.”

9. Tammy Lucas Ensinou Ele a Compôr Músicas
“Até aquele momento eu escrevia apenas raps”, afirmou Pharrell. “Ela me ensinou a compor melodias. Ser levado pela melodia e não pela letra da música.”

Teddy-Riley-Tammy-Lucas-Pharrell-Williams-Chad-Hugo-Anos-90

Tammy Lucas com Pharrell, Chad e Teddy Riley

10. O Segredo Para O Sucesso? Divirta-se e Seja Diferente.
Um estudante foi até o microfone para pedir um conselho a P sobre como fazer música pop com uma mentalidade comercial. “Eu não o aconselharia tentar soar como você estivesse no Hot 100 … Divirta-se na sua diferença. Lapide sua diferença até você fazê-la brilhar”, disse Williams. Em outras palavras, diverta-se e seja único. Quando ele estava falando sobre suas origens musicais com Chad, ele fez questão de enfatizar que eles não sabiam o que estavam fazendo.” Apenas se divirta. É assim que geralmente acaba sendo legal.”

11. “Caught Out There” Era Pra Ser do Busta Rhymes
Jason pergunta sobre Kaleidoscope, primeiro álbum da cantora Kelis, totalmente produzido pelo The Neptunes. Pharrell rapidamente fala que “Caught Out There”, primeiro single do disco, foi feita para o rapper Busta Rhymes. “Mas ele disse ‘Nah, filho!”, falou P.

Fonte: TheNeptunes.Org

Sobre o autor Veja todos os posts

rafael

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado